Sobre ser mulher com câncer de mama

October 13, 2016

Como sabemos, estamos em Outubro e o mês é rosa! Estamos dentro de um movimento internacional que tem como objetivo chamar a atenção para o câncer de mama e a importância do diagnóstico precoce.

 

O diagnóstico de câncer é significativo e vem acompanhado de mudanças na vida do paciente e de sua família.

 

O adoecer súbito é fonte de desorganização psíquica. Os pacientes, de uma maneira geral, apresentam respostas emocionais como: ansiedade, raiva, desespero, medo, tristeza, depressão entre outras.

 

As respostas psicológicas vão depender da estrutura de personalidade do sujeito, do contexto e momento em que ocorre a doença, da história de vida do paciente e de seus familiares. A partir desse momento, há uma reestruturação das expectativas e do modo com o qual o indivíduo lida com a vida.

 

Ser mulher com câncer de mama

 

As características do tratamento do câncer de mama trazem repercussões importantes no que se refere à identidade feminina e seus aspectos psicológicos. Além da possibilidade da perda da mama ou de parte dela, os tratamentos complementares podem impor a perda dos cabelos, a parada ou irregularidade da menstruação e a infertilidade, fragilizando e abalando a identidade da mulher.

 

Em função da incidência de casos de câncer de mama no Brasil e o impacto que esse diagnóstico acarreta na vida da mulher, é de extrema importância o apoio emocional à paciente e à família.

 

Como o tratamento psicoterapêutico pode ajudar nesses casos?

 

Compreender a dinâmica psíquica da mulher e os significados simbólicos do adoecimento é indispensável para que o tratamento se oriente para uma mulher fragilizada em sua sexualidade, maternidade e feminilidade.

 

A intervenção do psicólogo pode ser facilitadora também para os familiares. Estes precisam rever seus papéis na estrutura familiar e se adaptar às novas necessidades decorrentes do adoecer, ocupar a posição de cuidadores, além de expressarem seus sentimentos.

 

O papel do psicólogo no tratamento de pacientes oncológicos é essencialmente manter o bem-estar psíquico, contribuindo para a qualidade de vida. O atendimento psicoterápico é um espaço para que o paciente dê novos significados no processo do tratamento favorecendo sua reestrutura e o enfrentamento do tratamento.

 

Serviço: Fernanda A. Melicchio Fevereiro (CRP: 06 / 103186) e Natasha Midori Facchinato (CRP: 06/ 99043) são psicólogas e atendem na Clínica Integrada Vitallis, parceira da Rede TEM. Agende uma consulta inicial pelo 0800 836 8836.

Please reload

Destaques

A importância de manter a vacinação e a Carteira de Vacinação em dia!

18/07/2019

1/10
Please reload

+ Recentes

Please reload

Arquivo

Please reload

Mídias Sociais

  • Facebook Basic Square
  • LinkedIn Social Icon
  • Instagram Social Icon

Busca