7 motivos para procurar um Fonoaudiólogo

April 19, 2016

Trocar letras, língua presa e respiração oral: esses são os motivos que, geralmente, levam os pacientes ao fonoaudiólogo. Mas há outros motivos que justificam uma consulta. Confira abaixo:

 

1. PROBLEMAS NA FALA

 

Este é um dos problemas mais comuns tratados nos consultórios. Podemos considerar neste caso, pessoas que apresentam uma "fala ininteligível”.

 

Os distúrbios da fala e da linguagem são variados e podem estar presentes desde o nascimento, na infância ou na vida adulta.

 

Segundo a fonoaudióloga parceira da rede TEM, Marilia Lopes Moreira,  as queixas mais comuns em crianças são atraso de linguagem, troca de sons na fala, projeção lingual, distúrbios de fluência e voz. 

 

Em adultos os distúrbios da fala e linguagem são geralmente problemas adquiridos, ou seja, decorrem de lesões provocadas por traumas, acidente vascular cerebral (AVC) ou por doenças degenerativas.

 

“Há diferentes tipos de distúrbios, que podem ser transitórios ou permanentes e que variam de acordo com gravidade e perfil de cada paciente”, explica a fonoaudióloga.

 

A partir da avaliação a conduta será estabelecida com orientações e exercícios específicos para cada caso.

 

 2. AMAMENTAÇÃO

 

Pode ser que seu bebê tenha problemas para sugar o leite no período da amamentação. Este é um dos serviços que o fonoaudiólogo pode trabalhar, estimulando a sucção e deglutição do bebê, por meio de orientações e acompanhamento da mãe procurando evitar o desmame precoce.

 

Segundo Marilia, “o fonoaudiólogo é capacitado para orientar na amamentação, auxiliando no posicionamento do bebê e na pega adequada do seio materno”.

 

Além disso, “o aleitamento materno fortalece os músculos dos lábios, bochechas e língua, preparando as estruturas para o desenvolvimento da mastigação e fala”, alerta.

 

 

3. DIFICULDADE EM ENGOLIR

 

O fonoaudiólogo ajuda pessoas que sofrem com disfagia (dificuldade de deglutir), que pode ser sequela de acidente vascular encefálico (derrame ou AVC), entre outros.

 

A disfagia pode afetar crianças, adultos e idosos. O fonoaudiólogo irá diagnosticar e tratar individualmente cada paciente para possibilitar a recuperação de sua capacidade de deglutir, de suas capacidades funcionais e retorno às suas atividades de vida diária.

 

 

4. ROUQUIDÃO FREQUENTE

 

Ficar rouco com frequência é um bom motivo para procurar um fonoaudiólogo. A rouquidão constante pode ser indício até de câncer, mas, na maioria das vezes, é consequência de uso inadequado da voz por esforço exagerado ao falar.

 

Segundo Marilia, “temos a voz como nossa identidade, ela expressa nossa emoção e personalidade. As pregas vocais precisam estar saudáveis para emitirmos uma voz livre de ruídos, rouquidão, soprosidade ou diversos padrões vocais que prejudiquem a profissão e vida pessoal”, explica.

 

 

5. AUDIÇÃO

 

Quando o tratamento para surdez tem início nos primeiros meses de vida, há uma grande possibilidade de essa criança desenvolver a fala de modo mais eficiente.

 

O tratamento para este problema pode ser feito por meios de tratamentos clínicos e intervenções cirúrgicas. As próteses auditivas também são instrumentos importantes. Mas somente o fonoaudiólogo assume a coordenação deste processo de habilitação ou reabilitação da audição.

 

 

6. DISTÚRBIOS DE LEITURA E ESCRITA

 

Há casos em que a criança pode ter dificuldade de ler e escrever. Isso pode ser sinal de dislexia ou outros distúrbios. Nesses casos, a escrita costuma apresentar muitas falhas e trocas de letras, como P por B e T por D.

“Neste caso, onde o objetivo é facilitar o processamento da leitura e da escrita em seus diversos níveis (semântico, ortográfico, fonológico e contextual), são realizadas atividades selecionadas de acordo com as dificuldades encontradas nas avaliações”, explica a fonoaudióloga. Lembrando ainda que o tratamento pode incluir parceria com a escola, família e demais profissionais envolvidos com o paciente.

 

 

7. ESTÉTICA FACIAL

 

As tão indesejadas marcas de expressão do rosto também podem ser alvo do trabalho de fonoaudiólogos.  Ao fazer exercícios para modificar o uso da musculatura facial, é possível deixar o rosto mais jovem. Além de combater as linhas de expressão, esses exercícios ajudam a melhorar a aparência flácida, o olhar caído e os lábios frouxos.

O trabalho do fonoaudiólogo com a estética facial tem como principal finalidade o fortalecimento e balanceamento dos músculos envolvidos por meio de exercícios.

 

“Entre os benefícios estão o fortalecimento e sustentação da face, aumento da oxigenação e vascularização da pele, minimização ou até mesmo a eliminação das mímicas faciais, rugas e marcas de expressão”, explica Marilia.

 


* Serviço: Marilia Lopes Moreira é Fonoaudióloga e parceira da rede TEM. Para agendar sua consulta e conhecer as condições especiais do tratamento pela rede TEM, ligue para nossa Central de Atendimento: 0800 836 8836.

Please reload

Destaques

A importância de manter a vacinação e a Carteira de Vacinação em dia!

18/07/2019

1/10
Please reload

+ Recentes

Please reload

Arquivo

Please reload