Aedes Aegypti: cuidado gestante

February 16, 2016

 Mesmo sem a confirmação da correlação entre o vírus zica e os casos inusitados de microcefalia no país, toda a população deve fortalecer o combate ao mosquito Aedes Aegypti, que é transmissor de três vírus diferentes: dengue, zika e chikungunya. 

 

A correlação entre o aumento de casos de microcefalia e o zika vírus é uma das hipóteses que estão sendo levantadas pelas investigações mundiais em andamento.

O que é a doença?

 

Trata-se de uma malformação congênita, em que o cérebro não se desenvolve de maneira adequada. Neste caso, os bebês  nascem com perímetro cefálico (PC) menor que o normal, que habitualmente é superior a  33 cm.

 

Causas e consequências

 

As microcefalias podem ser efeito de uma série de fatores de diferentes origens, como as substâncias químicas, agentes biológicos (infecciosos), como bactérias, vírus e radiação.


 O tipo e o nível de gravidade da sequela vão variar caso a caso. Tratamentos realizados desde os primeiros anos melhoram o desenvolvimento e a qualidade de vida.

 

Como é feito o diagnóstico?

 

Após o nascimento do recém-nascido, o primeiro exame físico é rotina nos berçários e deve ser feito em até 24 horas do nascimento. Este período é um dos principais momentos para se realizar busca ativa de possíveis anomalias congênitas.

 

Todo e qualquer diagnóstico deve ser feito por um profissional de saúde.

 

Orientações para as gestantes

 

Às gestantes, recomenda-se realizar um pré-natal completo e reforçar todas as medidas para prevenir a proliferação do mosquito Aedes aegypti, além de todas as orientações já conhecidas para uma boa gestação. A recomendação é uma precaução enquanto a causa é investigada.

 

- Ter a gestação acompanhada em consultas pré-natal, realizando todos os exames recomendados pelo seu médico.

 

- Não consumir bebidas alcoólicas ou qualquer tipo de drogas.

 


- Não utilizar medicamentos sem a orientação médica.

 

- Usar preservativos.

 

- Evitar contato com pessoas com febre, manchas vermelhas (exantemas) ou infecções.

 

- Adotar medidas que possam reduzir a presença de mosquitos transmissores de doenças, com a eliminação de criadouros (retirar recipientes que tenham água parada e cobrir adequadamente locais de armazenamento de água).

 

- Proteger-se de mosquitos, como manter portas e janelas fechadas ou teladas, usar calça e camisa de manga comprida e utilizar repelentes indicados para o período da gestação.

 

Em caso de suspeitas ou dúvidas, agende já sua consulta com um médico especialista da Rede TEM pela Central de Atendimento 0800 836 88 36.

 

Fontes: Ministério da Saúde, G1 e Folha de São Paulo.

Please reload

Destaques

A importância de manter a vacinação e a Carteira de Vacinação em dia!

18/07/2019

1/10
Please reload

+ Recentes

Please reload

Arquivo

Please reload

Mídias Sociais

  • Facebook Basic Square
  • LinkedIn Social Icon
  • Instagram Social Icon

Busca