Você conhece a Esclerose Múltipla?

August 29, 2015

 

 

 

 

 

Esclerose múltipla é uma doença inflamatória crônica.  Por motivos genéticos ou 

ambientais, na esclerose múltipla, o sistema imunológico começa a agredir a bainha de 

mielina. E isso compromete a função do sistema nervoso. 

 

A característica mais importante da esclerose múltipla é a imprevisibilidade dos surtos 

e as dificuldades motoras e não se conhecem ainda as causas da doença. Sabe-se, porém, que a evolução difere de uma pessoa para outra e que é mais comum nas mulheres e nos indivíduos de pele branca.

 

Outras doenças do sistema nervoso podem provocar sintomas similares aos da 

Esclerose Múltipla dificultando o diagnóstico. O médico e exames clínicos, 

complementado por exames de imagem, por exemplo, a ressonância magnética, são 

imprescindíveis para ter certeza.

 

Atenção aos sintomas

 

Os sintomas são comuns às doenças neurológicas e diferentes de pacientes para 

pacientes, Os sintomas podem ser leves, moderados ou intensos e surgem e de 

maneira imprevisível. Listamos alguns:

 

- Alterações fonoaudiológicas: fala lentificada, palavras arrastadas, voz trêmula, 

disartrias e disfagias (dificuldade para engolir: líquidos, pastosos, sólidos).

 

- Fadiga: é um dos sintomas mais comuns e um dos mais incapacitantes. Manifesta-se 

por um cansaço intenso e momentaneamente incapacitante para realizar uma 

atividade desejada.

 

- Transtornos cognitivos e emocionais: Funções cognitivas mais frequentemente 

comprometidas são no processamento da memória e na execução das tarefas. Os 

indivíduos se queixam muito que levam mais tempo para memorizar as tarefas. Ainda, 

podem haver sintomas depressivos, ansiosos, transtornos de humor, irritabilidade, 

flutuação entre depressão e mania (transtorno bipolar).

 

- Além desses temos: Problemas na bexiga e intestinos, transtornos visuais, problemas 

de equilíbrio e coordenação, tremores, fraqueza geral, rigidez de membros ao 

movimento, disfunção erétil, nos homens e diminuição de lubrificação vaginal nas 

mulheres, entre outros sintomas.

 

Na dúvida, peque pelo excesso

 

Se existe a “suspeita” de estar com esclerose múltipla, a primeira coisa a ser feita é 

buscar esclarecer o diagnóstico. Deve-se então, procurar um profissional mais 

adequado a investigar e tratar a doença.

 

Existe uma série de doenças inflamatórias, infecciosas, que podem ter sintomas 

semelhantes ao da esclerose múltipla. O mais importante é aliar ao conhecimento 

médico, a história da pessoa e exames físicos, neurológicos e laboratoriais.

 

Tratamento

 

Embora sem cura no momento, os tratamentos oferecidos buscam reduzir a atividade 

inflamatória e os surtos ao longo dos anos contribuindo para a redução do acúmulo de 

incapacidade durante a vida do indivíduo. 

 

Além de medicamentos receitados por um médico, uma equipe multidisciplinar 

compõe e complementa o tratamento com outras terapias: são elas fisioterapia, 

fonoaudiologia, enfermagem, nutrição, psicologia, terapias comportamental, 

ocupacional e funcional. 

 

É muito importante para qualidade de vida do paciente. Apesar de não existir a cura 

ate o momento para a Esclerose Múltipla, muito pode ser feito para ajudar as pessoas 

portadoras da doença a serem independentes e a terem uma vida confortável e 

produtiva.

 

FONTE: Abem – Associação Brasileira de Esclerose Múltipla.

Please reload

Destaques

A importância de manter a vacinação e a Carteira de Vacinação em dia!

18/07/2019

1/10
Please reload

+ Recentes

Please reload

Arquivo

Please reload

Mídias Sociais

  • Facebook Basic Square
  • LinkedIn Social Icon
  • Instagram Social Icon

Busca