• Jorge Luiz

Endometriose: conheça essa doença que ataca cada vez mais mulheres



Endometriose é uma condição na qual o endométrio, mucosa que reveste a parede interna do útero, cresce em outras regiões do corpo.

Conhecida por ser o principal motivo de infertilidade entre as mulheres. Hoje, a doença afeta cerca de seis milhões de brasileiras. De acordo com a Associação Brasileira de Endometriose, entre 10% a 15% das mulheres em idade reprodutiva (13 a 45 anos) podem desenvolvê-la e 30% tem chances de ficarem estéreis.

A endometriose ocorre porque as tubas uterinas podem ser fechadas ou entupidas pelas lesões - impedindo o encontro entre o óvulo e o espermatozóide - ou ainda afastadas dos ovários, o que inviabiliza a captação dos óvulos.

Todos os meses, o endométrio fica mais espesso para que um óvulo fecundado possa se implantar nele. Quando não há gravidez, esse endométrio que aumentou descama e é expelido na menstruação.

Muita cólica?

Segundo especialistas, cólica é o primeiro e mais importante sintoma. Muitas vezes, são cólicas intensas que incapacitam as mulheres de praticarem sexo.

A dor pode ainda manifestar-se durante a relação sexual. Além desses sintomas, podem estar presentes a dificuldade para engravidar e alterações intestinais ou urinárias durante a menstruação. Nos casos mais avançados, a dor pode ocorrer também fora do período menstrual.

Qual exame deve identificar?

O diagnóstico de suspeita da endometriose é feito por meio de exame físico, ultrassom (ultrassonografia) endovaginal especializado, exame ginecológico, dosagem de marcadores e outros exames de laboratório.

Atenção especial deve ser dada ao exame de toque, fundamental no diagnóstico da endometriose profunda. Em alguns casos, o médico ginecologista solicitará uma ressonância nuclear magnética e a ecocoloposcpia.

Lembrando que nada substitui uma consulta médica. Caso tenha alguma dúvida, entre em contato e CLIQUE E AGENDE AQUI sua consulta.

74 visualizações